Café pelo mundo – Café indiano

2K

Já ouviu falar no conto indiano das sete sementes de Baba Budan? Não? Então, seja bem-vindo(a) ao contexto histórico de hoje e mergulhe no universo encantado do café. Pegue uma xícara de café e prepare-se para conhecer mais sobre o café indiano.

A história remonta ao século 16, quando o Iêmen detinha o monopólio do cultivo do grão de café e somente a exportação torrada era permitida. Foi então que um monge destemido decidiu mudar o curso dos eventos.

Esse protagonista foi Baba Budan, que não ficou satisfeito com essa proibição. Ao passar pelo porto de Mocha, no Iêmen, na península da Arábia, ele sentiu o aroma dos grãos de café e escondeu sete sementes da iguaria nas suas roupas.

Visto que o Iêmen proibia o comércio de café, Baba conseguiu levar para casa os grãos que originaram a bebida que servia como fonte de energia e auxiliava nas meditações matinais.

A lenda do café indiano

A escolha de sete sementes foi intencional, pois o número sete é sagrado na Índia. Foi assim que os primeiros pés de café indianos foram plantados nas montanhas onde o monge vivia. A partir daí, essas plantas de café cresceram e se enraizaram por toda a Índia. 

Segundo estudos, as sete sementes levadas por Baba deram origem às variedades Jackson, Kent, Coorg e Mysore. Esses grãos têm rastreabilidade na mesma região da Índia, o que respalda a teoria das sete sementes. Nesse contexto de particularidades, o café indiano conquistou o mundo e a lenda das sete sementes cativou muitos.

Leia também  Conheça a história do café

Os Caminhos do Café na Índia

Na Índia, os magníficos palácios são portais que conduzem a um lugar repleto de magia e combinações de sabores. Na verdade, esses portais podem resumir a chegada misteriosa do café Kent ao país. 

Portanto, o Kent é quase lendário, originado daquelas sementes guardadas pelo monge Baba Budan em 1670, plantadas nas montanhas indianas.

Após florescer nas montanhas de casa, o Kent começou a se espalhar e logo alcançou outras partes do mundo. No entanto, existem estudiosos (talvez mais céticos) que acreditam em uma origem posterior.

A Racionalidade do Kent

Para esses grupos, o café teria surgido a partir de uma mutação natural dos grãos da variedade Typica, na fazenda Doddengooda, em Mysore, Índia, em 1911, sob a supervisão do senhor LP Kent. Ele era um produtor indiano que buscava desenvolver uma planta mais resistente à ferrugem e doenças. Assim, o café Kent teria sido descoberto.

Essa disseminação levou ao surgimento de outras variedades, como o café K7, que chegou ao Quênia, e o Kent foi amplamente produzido na Índia por mais de 90 anos. Embora tenha nascido com uma resistência notável à ferrugem, essa característica foi se perdendo ao longo do tempo.

Para os estudiosos, a situação piorou quando um fungo forte chamado “Coffee Leaf Rust” chegou com uma força destrutiva e quase dizimou todas as mudas de Kent na Índia. Ainda assim, algumas plantas conseguiram sobreviver à onda de desastres e permaneceram firmes na região.

Leia também  Brownie: Uma sobremesa instantânea e irresistível

Peculiaridades do Café Indiano

Na boca, este café pode oferecer uma acidez muito delicada e notas florais (assim como o Geisha: o café oficial do império japonês). O corpo é leve, o que torna esse café muito agradável de beber.

Outra característica famosa do café indiano está relacionada à sua preparação, que envolve especiarias e agrada aos paladares que apreciam bebidas exóticas. Durante a produção, especiarias como noz-moscada, canela em pó, cacau em pó e creme de leite são misturadas.

Curioso, não é? Uma outra dica valiosa que pode aprimorar sua experiência com o café é o uso do cravo-da-índia no preparo. Ele adiciona um sabor interessante que combina muito bem com o café na xícara.

Então, que tal se aventurar um pouco e considerar uma receita que combine especiarias com um café mais robusto, apresentando notas sensoriais que lembram frutas secas?

paodepudim 1

Aprenda a Preparar um Café Indiano

  • 1 xícara de café expresso Ricardo Tavares
  • 1 xícara de leite integral
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 1 pitada de cravo-da-índia
  • 1 pitada de noz-moscada
  • 2 colheres de chá de chocolate 70% cacau ralado
  • 2 colheres de chá de creme de leite

Modo de Preparo

O preparo é simples e não exige grandes habilidades culinárias.

  • Utilize uma panela em fogo baixo, adicione o café expresso, o leite integral, a canela em pó, o cravo-da-índia e a noz-moscada.
  • Misture bem com uma colher de pau.
  • Em seguida, acrescente o chocolate 70% cacau, desligue o fogo e adicione o creme de leite.
Leia também  A arte de degustar café especial: um guia completo
Fechar
Your custom text © Copyright 2024. All rights reserved.
Fechar